sábado, 16 de janeiro de 2021

Life and Death (Stephenie Meyer)

Quem acompanha o blog, o canal e meu instagram sabe que ano passado eu reli Crepúsculo (tem vlog de leitura) e me redescobri crepusculete (haha). Além disso, também li Midnight Sun quando o livro lançou (tem resenha no canal e vlog de leitura) e aí foi um caminho sem volta. Voltei a me sentir a menina de uns treze anos atrás (socorro) que era muito team Edward. Depois disso tudo, resolvi que ia ler o único dessa brincadeira toda que me faltava, O Vida e Morte (Life and Death) que, para quem não conhece, é a história que já conhecemos de Twilight, mas com os gêneros de todos os personagens (menos dos pais da Bella e ela justifica isso na introdução) trocados. Ou seja, agora temos uma vampira que se apaixona por um humano. Inicialmente, achei a ideia bem genial e estava muito animada para ler, ainda mais porque, quando comprei o livro, muitas pessoas vieram me falar que era maravilhoso e que conseguia ser melhor que o original. Ou seja, minhas expectativas estavam ridiculamente altas. De fato, é muito bom, mas não achei que superou toda a magia de ter lido o original. Por conta disso, e de alguns mini fatores, o livrou acabou com quatro estrelas e meia (porque agora sou uma pessoa que aceita dar notas assim quebradas, rs). 

Quem está acostumado a ler minhas resenhas, sabe que agora seria a hora que eu contaria um resumo sobre a história de um jeito leve e já deixando um pouco claro o que achei dos personagens e da trama. Só que estamos falando aqui de uma das histórias de livro (e filme) mas conhecida dos últimos tempos. E é aí que está um dos motivos pela perda da meia estrela: É EXATAMENTE A MESMA COISA. É claro, não foi uma propaganda enganosa nem nada. Eu sabia que ia ler a mesma história, mas com a troca dos personagens... mas eu não esperava que era tão exatamente a mesma história. Ok, a autora já havia falado na introdução que seria assim e que ela adaptaria algumas coisas (e eu amei as adaptações) e mudaria também algumas coisas que a deixavam nervosa desde o lançamento do primeiro e oficial (que também achei super legal)... mas acho que lá no fundo eu esperava que fosse, ao menos, um pouco mais diferente. O que, de fato, foi totalmente diferente é o final e eu, pessoalmente, não gostei do final novo, rs. Na verdade, essa nova possibilidade de finalização da história me fez até valorizar mais toda enrolação, drama e loucura de Lua Nova e Eclipse. Porque vi que tudo que Bella e Edward passaram fez tudo fazer mais sentido no final. Ok, mas agora vamos voltar o foco para esse livro aqui.

A história se foca em Beaufort Swan o menino que se mudou para Forks para morar com o pai, para que sua mãe vivesse viajando com seu novo marido que era um jogador. Ao chegar lá, ele conhece a família misteriosa e muito bonita dos Cullen. Incluindo a bela (olha o trocadilho) Edythe Cullen. Ok, o resto é tudo igual e é isso mesmo. Claro, todos os personagens que eram mulher viraram homens e vice e versa. E isso ME CONFUNDIU DEMAIS. Chegou a ser divertido ver minha cabeça tostando os neurônios para lembrar que a Bella era na verdade o Beau e o Edward era na verdade a Edythe e minha cabeça ficou bagunçada por umas cem páginas. Além disso, como faz relativamente pouco tempo que li Midnight Sun, eu ainda bagunçava ainda mais o rolê todo. Porque minha cabeça li o trecho de Vida e Morte, lembrava de Crepúsculo e, como a cereja no topo do bolo, bagunçava os as informações extras que eu tenho por ter lido Sol da Meia-Noite. Em resumo, foi divertido a bagunça no final, mas no começo eu tive que ler com muito foco para não me perder nos gêneros novos todos que tínhamos ali.

Sobre o final, que comentei que não gostei, deixei um spoiler (para quem gosta disso) no final do vlog de leitura desse livro. Não se preocupe, o spoiler está depois que eu falo tchau, então não tem risco de ver sem querer. Ah! E para quem, assim como eu, é bem curioso... sim os trechos são idênticos aos de Crepúsculo (salvo as alterações que a autora avisou que faria). Eu cheguei a pegar a minha cópia em inglês e Twilight para comparar trechos com o Life and Death (chamo isso de tempo livre nas férias). Em resumo, vale a pena ler se você gosta muito da saga. É uma leitura legal e, até mesmo, leve e divertida por imaginar essa bagunça de universo novo. Mas, se eu pudesse dar uma dica, seria ler só se não leu nem Twilight nem Midnight Sun muito recentemente, pois acredito que isso vai bagunçar menos a cabeça (hehe).

Life and Death
Autora: Stephenie Meyer
Editora: Little Brown
Páginas: 387
Skoob do Livro.
Meu Skoob.

Nenhum comentário:

Postar um comentário