terça-feira, 9 de outubro de 2018

Na Estante: Você Acredita Mesmo em Amor à Primeira Vista?


Esse foi o primeiro livro de blogueira, em muito tempo, que realmente tive muita vontade de ler. Acompanho a Fabi desde que ela criou o blog, uma vez que já a acompanhava pela irmã Nina e sempre gostei de ver os vídeos dela. Uma coisa que sempre me chamava atenção era ela falando de livros. E falando por gostar mesmo, sabe? Não era por estar na "moda" ou algo do tipo. Por isso mesmo, achei legal quando ela falou que lançaria um livro. Claro que rolou aquele pé atrás, afinal, sabemos que a maior parte dos blogueiros que lançaram livros não tocaram em uma só tecla do teclado, mas acompanhei ela escrevendo em vlogs, em postagens das redes sociais e coisas do tipo. Sentia que era verdadeiro da parte dela e, quando descobri do que se tratava o livro, fiquei com ainda mais vontade de ler. O livro é um romance que mistura a realidade da vida dela, com algumas adaptações leves na história. Em resumo, o livro ficou com cinco estrelas e eu vou contar tudo nos detalhes para vocês, como sempre.

Como não é ficção, o jeito de contar é diferente. Aqui não temos personagens, temos realidade. Fabi contou com todos os detalhes possíveis e imagináveis como se apaixonou por seu atual noivo, Leandro. Mas calma, não temos um conto de fadas aqui, afinal, como eu já disse, estamos falando de realidade. Temos uma relação que começou com muitos problemas e uma dependência que já dava para todos perceberem, menos os dois, que não iria para frente, pelo menos não naquele momento. Os dois precisavam crescer muito para continuarem juntos. Para entenderem que um relacionamento é feito pelos dois e é isso que vemos na história. O livro acaba na "melhor parte", assim dizendo. Para quem acompanha a blogueira, o final não é mistério (visto o pedido de casamento lindo que rolou esse ano), mas é muito doido como ficamos ansiosos pela continuação de tudo isso.

"Hoje paro e penso nessas coisas e me pergunto: 
sou realmente a Fabiana que viveu tudo isso?"

O mais fantástico, na minha opinião, é que conseguimos ligar os fatos citados no livro aos vídeos que Fabi foi publicando em seu canal de youtube. Muitas coisas batem com o que fomos acompanhando de fora e tudo faz muito sentido, sabe? É lindo também ver a autora e personagem principal descobrindo que o mais importante é a felicidade dela e o amor próprio. Ela achando a força dentro dela para ser quem ela é. Importante falar também, que você sente muita raiva enquanto lê. Tive vontade de bater em um e de sacudir a outra. E ai lembrava que tudo aquilo não é ficção e que a vida é assim. Muitos erros formam as relações, sejam elas românticas ou não. Os dois são humanos e verdadeiros e é isso que prende tanto no livro. A torcida por um final feliz, que sabemos ser real, e a vontade de estar ali acompanhando toda a loucura que forma aquela história de amor.

"Ai, Fabiana, dá vontade de entrar nessa cena e 
dar um tapa nessa sua cara pra ver se você acorda." 

Acho que é a primeira vez que leio um livro assim e estou bem feliz. De começo, a leitura estava lenta, acho que até eu me acostumar com a narrativa (que é beeeeem detalhada) foi complicado, mas depois foi de uma vez só e eu não queria parar. É um livro gostoso de ler e muito real, afinal, é literalmente isso. No começo, achei que daria quatro estrelas, não aguentava mais ver cada detalhe de tudo (cor da mesa, detalhe da porta e por aí vai), mas isso foi passando com as páginas e logo me apeguei na história e acabei com aquele gosto de, por favor, eu quero e preciso de mais. É um livro que poderia facilmente ser ficção e o fato de não ser o torna ainda mais interessante. Indico para quem acompanha o trabalho da blogueira, afinal, vai entender muitos detalhes e, acredito, se apegar ainda mais na história.

Você Acredita Mesmo em Amor à Primeira Vista?
Autora: Fabi Santina
Editora: Planeta
Páginas: 224
Skoob do Livro.
Meu Skoob.

sexta-feira, 5 de outubro de 2018

Na Estante: O Último Adeus


Finalmente a resenha do último livro que li na maratona de vinte quatro horas que fiz no feriado de setembro. Demorou, mas saiu e é isso que importa, rs. Vocês não imaginam a minha alegria (real/oficial) de escrever essa resenha. Estamos falando do penúltimo livro da série Rosemary Beach e isso é uma grande vitória. Acho que quando terminar vou sentar num cantinho e chorar (por um misto de sentimentos, hehe). Como a mior parte da série, o livro ficou com quatro estrelas, mas vale comentar que a escrita da Abbi melhorou de forma visível. Tanto quando o assunto é a forma de escrever a história, tanto quando o assunto é machismo. Percebi uma mudança radical nesse último detalhe, e isso me deixou bem feliz como leitora fiel da série. Enfim, como já falei ali em cima, é uma série e está quase no final, então pode ser que você considere alguma coisa aqui como spoiler, por isso, evite ler (mas quem sou eu parar dar regras, né?). Ah! Também é um livro para maiores, hehe. Como sempre, vou contar um pouco do livro e, depois conto mais da minha opinião sobre ele e os personagens principais da vez.

Quando River voltou para Rosemary ele não podia imaginar que todo o seu passado estaria lá esperando por ele de uma forma completamente doida. Ele só estava ali para ajudar na montagem de um restaurante luxuoso, mas uma das funcionarias estava mexendo demais com ele. Rose tinha uma risada conhecida, um som que ele queria esquecer, ou melhor, que ele podia jurar que tinha esquecido. Tudo nela o lembrava de alguém muito especial que tinha feito parte de sua vida, mas não fazia sentido ser ela. Enquanto ele tenta desvendar todo o mistério que envolve Rose, ele ainda precisa lidar com muitas das besteiras que fez na vida e precisa fazer isso rápido, para conseguir seguir com sua vida sem ser assombrado pelos fantasmas de seu passado.

"Essa noite poderá ser a mais longa da minha vida, 
mas não conseguiria me imaginar querendo estar 
em outro lugar que não fosse aqui." - Página 148

Rose tinha muitos segredos. Uma mãe solo, que parecia ser mais alguém na multidão, que estava trabalhando dura com o que podia e além para criar bem sua filha, mas que tinha algo no seu passado que a tinha marcado para sempre. River, que era mais conhecido como Capitão, também estava mexendo demais com ela, mas ela sabia o motivo, por mais que estivesse com os dois pés atrás na história. Ela sabia o motivo de estar ali e de tudo parecer tão familiar para ele. Mas tudo era complicado demais, triste demais. Ela não sabia nem por onde começar, mas só de estar ali já era um grande primeiro passo.

Palmas para Abbi que está deixando o machismo de lado, aleluia! Esse livro é o primeiro que leio da autora que não me fez fazer (muitas) caretas para as frases dos personagens principais (homens). Inclusive, algumas das coisas que ela normalmente escreve foram até mesmo zoadas na história e, com isso, ela ganhou muitos pontinhos comigo. Sobre os personagens, Capitão já tinha aparecido em outros livros e, com isso, eu já o conhecia e sabia o que esperar e, na real, estava bem animada para a história dele. Rose foi uma surpresa agradável e é o tipo de personagem que te faz torcer sabe? Você quer que tudo fique bem logo e se apega ao que está acontecendo. De forma geral, é um bom livro e, se você está lendo a série, vale a pena continuar e chegar nele. Se está com dúvida se lê ou não, se joga! Agora estou doida para ler o último e, como falei, vai ser uma avalanche de emoções quando eu acabar tudo (afinal, tem anos que estou nessa, sem exageros).

O Último Adeus
Autora: Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Skoob do Livro.
Meu Skoob.

sábado, 22 de setembro de 2018

Na Estante: É Assim que Acaba


Faz muito tempo que estou enrolando para voltar a ler os livros da Colleen Hoover que, acredite, é uma das minhas autoras atuais favoritas. Fiquei cerca de dois anos sem ler nada dela, mesmo tendo uns três ou quatro lançamentos na estante só esperando. O que acontece (e quando expliquei no canal, muita gente concordou) é que os livros dela são sempre muito fortes emocionalmente falando. Você nunca termina a leitura de uma força leve, sabe? sempre tem uma carga muito forte de emoção e você fica até sem ar em alguns momentos da leitura. Como minha vida já é agitada o suficiente, acabei evitando por um tempo e, com isso, fiquei com medo de voltar a ler. Medo de não gostar mais. Medo de gostar até demais. Medo. E vamos falar a verdade, muitas vezes medos são apenas bobeiras. Com isso, durante a maratona de 24h que fiz no último feriado, resolvi tomar vergonha na cara e ler. Adivinha? Meu coração foi destruído de muitas formas durante a leitura. Mas valeu a pena. Uma leitura nada fácil (no sentido de ser real demais), mas muito necessária. Um assunto delicadíssimo, mas que precisa ser falado. E mais um livro da Colleen que acabou com cinco estrelas, o que não é assim tão novidade. Antes de qualquer coisa, precisamos colocar aqui um aviso de gatilho. O livro trata de um assunto que pode fazer algumas mulheres se sentirem bem mal, por isso, estou avisando que o tema é violência doméstica. Ah! Mas como que um tema desses pode dar um livro cinco estrelas e blá-blá-blá. Calma. Vamos por partes. O que me lembra que, além desse primeiro aviso, é bom dar mais um. O livro é, obviamente, para maiores de dezesseis anos.

Lily teve uma infância muito complicada. Recebia todo o amor do mundo de sua mãe, mas, ao mesmo tempo, via que seu pai era um monstro. O prefeito da cidade que mostrava para todos uma família feliz, mas que, na realidade, fazia um verdadeiro inferno dentro de casa. No fundo, ela nunca perdoou sua mãe por não ter saído daquela relação, mas o que ela poderia entender sobre a vida dos outros. No meio de todo esse caos ela conheceu Atlas, um menino que conseguia ter uma vida tão bagunçada quanto a dela e, como corações em pedaços se atraem, os dois acabando tendo uma conexão muito mais forte e real que a paixão. O problema é que os pais de Lily não aceitavam a situação em que Atlas se encontravam e nem estavam dispostos a ouvir o lado da filha, afinal, o que a cidade ia pensar? Era só isso que importava. O tempo passou e Lily se mudou de cidade, na esperança de esquecer seu passado. E aí, numa noite não muito fácil de sua vida, Lily acaba conhecendo Ryle, um médico que parecia perfeito demais para ser verdade, mas que estava com olhos inteiros nela. Só tinha um problema, ele tinha pavor de relacionamentos e negava a cada segundo o que um sentia pelo outro.

"A situação está ficando complicada demais para mim." - Página 116

Os dois vão tentando entender onde estão no meio de todo o desejo e medo. Aos poucos eles vão encaixando as peças e o relacionamento vai acontecendo de forma quase natural. Quase, porque os dois precisam mudar muitas coisas em suas vidas para que tudo funcione. E é no meio de toda essa bagunça que Atlas reaparece na vida de Lily. E a relação de Lily e Ryle entra em um momento de provação que nenhum dos dois esperava. E é aí que Lily começa a viver situações que antes achava que era fácil se livrar, mas que quando é a personagem principal do drama, não é tão fácil assim. Ele pode mudar. Ela pensava. Ele não é assim. Ela tentava acreditar. Foi só uma vez. Ela rezou que fosse verdade. E no meio de muitas descobertas ela precisa tirar forças do fundo do seu ser para fugir de uma realidade que ela jurou que nunca viveria. Por sorte, o destinou colocou alguém para guiá-la, mas mesmo assim nada ali é simples. Nem mesmo quando acaba.

"Na alegria e na tristeza? Foda-se. Essa. Merda." - Página 281

Precisei respirar bem fundo durante muitos momentos enquanto escrevia os trechos aí de cima. Assim como precisei respirar ainda mais fundo e ainda mais vezes enquanto lia o livro. Como já havia avisado, o livro toca em assuntos delicadíssimos e nós somos sugados para esse mundo enquanto tudo acontece. Nos sentimos parte da história e queremos ajudar de alguma maneira. E aí percebemos, no fim, que é um livro e não poderíamos ajudar, mas que estamos no mundo real e tudo isso acontece mais do que imaginamos e que, aqui fora sim, podemos tentar ajudar. Podemos e devemos meter a colher, afinal, essa de que em briga de marido e mulher não se mete a colher é apenas uma rima tosca e antiquada. Só tenho uma crítica ao livro, por tocar nesse ponto. Não existem aviso de gatilho na capa, nem na sinopse e nem em lugar algum do livro. Colleen é famosa e qualquer uma pode pegar para ler o livro e, com isso, sofrer com memórias ou realidades. Senti falta do aviso e medo por ele não estar lá e como isso pode machucar algumas mulheres. Antes de falar dos personagens e mais do livro, é importante explicar que o livro é maravilhoso, mas não pela história que conta, mas sim pelo favor que faz de alertar sobre algo tão real e de uma forma tão bem escrita e ainda mais real. Colleen, como sempre, criou personagens críveis e leves que você se apaixona e se apega e, com isso, sente uma dor sem tamanho por não conseguir ajudar quem está ali nas páginas. Um livro complicado, porém necessário.

Lily é uma personagem fantástica e é exatamente por isso que dói tanto a leitura. Ela vai atrás do que sonha, é uma amiga maravilhosa e é uma pessoa real, como qualquer uma de nós aqui. Outra personagem que precisa ser citada é a irmã de Ryle, Allysa. Uma personagem ainda mais leve e ainda mais necessária na história que, como a nova melhor amiga de Lily, faz o possível e o impossível para ajudá-la. Sobre os personagens masculinos da história, não vou dar detalhes para não virar spoiler demais, por isso, para conhecê-los melhor, o indicado é ler a história. Ah, vale comentar que Colleen criou uma forma genial para contar o passado na história sem ter que ficar fazendo 'viagens' no tempo para contar o que aconteceu na juventude da personagem. Não vou dar detalhes para, mais uma vez, não estragar o livro, mas tem a ver com a Ellen DeGeneres e é isso. Provavelmente, a resenha mais complicada que já escrevi em todo o meu tempo de blogueira literária. Espero que tenha conseguido passar a profundidade dessa história e que você leia o livro com a cabeça e coração abertos.

É Assim que Acaba
Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Skoob do Livro.
Meu Skoob.