quinta-feira, 17 de outubro de 2013

Na Estante: Perdida


Eu estou sem palavras, pela primeira vez na minha vida eu não sei como começar um texto falando sobre um livro. Eu comprei esse livro pelo simples fato de que muita gente estava falando dele, sem esquecer que a autora é brasileira e eu amo esse fator. Comecei o livro sem esperar muito e até deixei ele de lado por uns dias (dessa vez a culpa foi da faculdade, de verdade), mas tomei vergonha na cara e retomei a leitura, adivinha quem leu mais um livro em menos de 24h? Eu! Parabéns se você acertou. Foco, Izabela! É sério, eu estou sem palavras, esse livro conseguiu empatar com um livro que vocês conhecem bem aqui no meu blog, sim, esse livro empatou no meu coração com o Belo Desastre. Ainda amo o Travis, mas a história da Sofia e do, maravilhoso, Ian foi algo demais para minha pessoa. Aviso: estou inspirada e provavelmente vou escrever horrores sobre o livro.

Vou tentar falar do livro, sem contar spoilers. Defini na minha cabeça como um conto de fadas moderno/antigo. Para quem se perdeu nessa minha definição, tudo vai ficar mais claro daqui para frente, eu prometo. Sofia é uma mulher comum no século 21, vive pelo trabalho e sempre pensa no futuro. Em uma noite ela sai com alguns amigos para uma pequena comemoração e acaba bebendo um pouco mais de chopp do que devia, o que a faz correr para o banheiro e é aí que o desastre acontece, seu celular (com toda sua vida) cai no vaso sanitário. No dia seguinte ela acorda cedo para ir atrás de outro celular, acaba achando uma loja com uma senhora bem estranha, mas simpática, que vende para ela um celular que seria revolucionário e traria tudo que ela sempre precisou. Quando Sofia sai da loja e tenta ligar o celular a única coisa que acontece é que ela tropeça em uma pedrinha no chão e graças a uma luz cegante que sai do celular não consegue se segurar e cai.

BOOM! Sofia vai parar no século 19, assim mesmo, sem mais nem menos. Por sorte um verdadeiro cavalheiro a encontra e resolve que precisa ajudar aquela donzela em perigo. É aí que conhecemos Ian Clarke e é por aí que nos apaixonamos pelo personagem também (isso não é spoiler, é fato). Nossa personagem principal se vê presa, depois de pensar na possibilidade de estar louca, em um século completamente estranho e distante de sua realidade. A única coisa que ela tem de sua vida no século 21 é a bolsa com algumas coisas, quase inúteis, e seu mais novo celular que não funciona. Ela começa a receber pistas da senhora (maluca) pelo celular, desde o momento em que essa mulher apareceu coloquei na cabeça que ela era uma fada madrinha, e preciso comentar que estava basicamente certa (adoro estar certa).

Sofia está naquele século para descobrir o que ela realmente precisava e quem ela realmente era. Ela fica hospedada na casa do Ian, Sr. Clarke, e lá ela fica amiga da irmã dele, Elisa. Uma das personagens mais fofas que já li, essa tal de Elisa, eu tive muita vontade de abraçá-la em inúmeros momentos do livro. Sofia ainda conhece algumas outras pessoas do círculo de amizade de Ian e acaba ficando meio amiga dos criados da casa, principalmente de Madalena, a melhor cozinheira do século 19. Tudo ali parece estranho para ela, menos Ian e um cavalo da propriedade, o Storm (mas eu paro aqui, caso contrário vocês vão ver o que é um verdadeiro spoiler, sim empolguei escrevendo). O divertido é que ela usa muitas gírias e todos ficam perdidos sem entender o que ela está falando, sem esquecer que mesmo com os vestidos mais chiques que ela usa ela sempre fica com seu bom e velho All Star vermelho.

O que mais me agradou no livro nem foi o charme de Ian (por mais que isso tenha ajudado muito), mas sim o fato de que era o Brasil. Eu estava lendo um livro que estava se passando no século 19 e não se passava na Inglaterra. Sou maluca por autores brasileiros que conseguem sair da imagem que "aprendemos" na escola da literatura brasileira, mas Carina se superou ao trazer essa magia das histórias dignas de Jane Austen para nosso Brasil. Ok, mas créditos precisam ser dados, e Ian (mesmo você sendo fictício) você está de parabéns. Foi suspiro atrás de suspiro durante toda leitura, um verdadeiro príncipe encantando, mas com um tempero brasileiro.

"Contos de fadas podem virar realidade, Sofia. Basta que a princesa não lute contra a própria felicidade." (Página 198)

Para terminar, tenho noção que já escrevi demais, preciso comentar sobre minhas reações. Eu sempre sou muito exagerada lendo um livro, mas nesse me superei (no nível de quando li A Esperança, da trilogia de Jogos Vorazes). Eu ria em voz alta, eu chorava sem me segurar, eu reclamava, suspirava, gritava e tudo isso só com esse livro. Se alguém tivesse filmado e colocado na internet o vídeo estaria na página popular do youtube (na parte de comédia) com milhares de views. Para terminar, quero ler o outro livro dessa autora. Posso apostar que é tão bom quanto esse, o mesmo sucesso. E ouso dizer que não será o último (como Ian diria).

Perdida
Autora: Carina Rissi
Editora: Verus
Páginas: 364
Skoob do Livro.
Meu Skoob.

6 comentários:

  1. IIIIIIIIIIIIIIIZA, amei a resenha, esse é um dos melhores livros que já li, Ian mt lindo awn USAHUSA e eu AMEI a capa <3 SUAHSU

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. THAAAAAAAANKS! Também está, oficialmente, na lista de melhores que já li!! *-* Ian é MUITO xuxu, e realmente a capa é top <33
      bjs bjs

      Excluir
  2. Eu tenho MUITA vontade de ler esse livro, já li Procura-se Um Marido da Carina e posso afirmar que é muito bom. Espero comprar esse livro em breve! :3

    http://livro-apaixonado.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Estou louca por esse outro dela!! *-*
      pode ir na fé, vale a pena ;D
      bjs bjs

      Excluir
  3. Iza, pelamor, eu preciso desse livro! hahaha
    Vou ficar doida! Todo mundo só fala bem, aí você vem com uma resenha linda dessa! Não dá <3 rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. sim, VOCÊ PRECISA!!!!
      leia! simples assim!! :DD
      bjs bjs

      Excluir