sábado, 18 de abril de 2020

Na Estante: A Chama Dentro de Nós


Pela primeira vez, depois de escrever mais de duzentos e cinquenta resenhas, eu estou começando uma sem saber com quantos estrelas o livro ficou. Estou em duvida ainda se tiro um estrela ou se deixou todas lá na avaliação e, por isso, conto para vocês o que eu decidir no final da resenha. Esse é o terceiro livro da autora que leio e eu, de verdade, tinha esquecido que ele estava na estante. Foi aí que resolvi separar uma pilha de livro que ainda precisava ler (e que achava que ia gostar) e ele estava lá no topo. De começo, o livro não me agradou muito mas, aos poucos ele foi me conquistando e, quando me dei conta, tinha lido ele todo em uma manhã. A escrita da Brittainy é uma delícia e é incrível como não vemos, de verdade, o tempo passando. Ao mesmo tempo, a escrita dela lembra um pouco a da Colleen Hoover. É densa e sempre trata de assuntos mais pesados. O que me lembra, que a escrita dela, diferente da da Colleen, é um pouco previsível. E que, por mais que o padrão tenha se mantido nesse livro, ele me surpreendeu em muitos momentos. Mas vamos por partes, não é mesmo. Esse livro me deixou confusa com relação aos meus sentimentos com a leitura dele e, por isso, acredito que tenho muita coisa para falar. Então, vou parar de enrolar.

Alyssa nasceu em uma família que já tinha tudo planejado para a vida dela. Seu pai, era um espírito livre amante das artes. Sua mãe, uma advogada cética que acreditava ter pleno controle da vida de todos que a cercavam. E Aly, e sua irmã, entavam lá no meio disso. Logan, por outro lado, não sabia nem ao menos se podia se dar ao luxo de sonhar com um futuro. Vivia em algo que nem sequer se parecia com uma família e era cercado de problemas. A única coisa certa em sua vida era seu irmão mais velho, que cuidava dele como podia e o deixava ter um vislumbre do que era ter uma vida normal. Duas pessoas completamente opostas, mas que ao mesmo tempo se encaixam muito. Os dois sentiam falta de muitas coisas em suas famílias e, quando descobriram isso, começaram uma amizade histórica. Enquanto ainda era adolescentes, eles perceberam que se completavam e que um sempre precisaria do outro, mas eles acreditavam que era apenas uma amizade. Até que tudo mudou.

Quando foram crescendo, perceberam que tudo que sentiam ia bem além de uma amizade e que a necessidade que um sentia de o outro por perto era algo que não poderiam ignorar. Mas eles eram fogo e quando juntamos duas coisas inflamáveis, só criamos um incendio maior. Os dois passam por muitas coias tentando se entender e tentando entender o que de fato é a relação deles. Só que Logan tem traumas do passado que vivem voltando para assombrá-lo e Aly, não sabe se tem forças para lidar com todo o caos. Pior, ela não tem forças também para ficar longe de tudo isso.

Ok, qualquer coisa que eu falar a mair, é spoiler. Não que eu precise dar spoilers, o livro já faz isso sozinho. Na tentativa de deixar algumas pontas da história bem amarradas, a autora acaba entregando muitas das coisas que vão acontecer ao longo de todo o livro. Assim que comecei a leitura, o personagem fez um comentário e boom... pensei. Já sei que vai acontecer isso, mais isso e aquilo outro. Dito e feito. Ao londo da leitura minhas previsões estavam certas e, de primeira, isso me desanimou bem. E aí, lá pro meio da história, ela começou a me surpreender e muitas coisas, que eu não estava esperando, começaram a acontecer e eu empolguei na leitura e só parei quando terminei. Mas antes disso tudo, teve todo aquele drama pessoa de preguiça de uma história que parecia (e estava sendo) previsível. Mas aí entra meu dilema, nem com todas essas coisas, consegui parar de ler. Porque a escrita é muito boa. 

Logan é o galã problemático clichê dos new adults raiz. Tudo nele grita problema e, ao mesmo tempo, ele é narrado como sexy. Nada de novo por aqui. O mesmo para a personagem principal, Alyssa, que também segue bem a onda do clichê, mas que, ao mesmo tempo, me surpreender por ter sido muito bem escrita. O que me lembra, o dom da autora, Brittainy, é escrever personagens secundários. Relendo minhas resenhas de outros livros dela, percebi um padrão. Ela escreve spoilers em suas história e escreve personagens secundários fenomenais. O irmão do Logan e a irmã da Aly muitas vezes robam a cena, a irmã principalmente.

Em resumo, decidi que o livro vai ficar com quatro estrelas, afinal, em alguns momentos do começo da leitura pensei em deixar o livro de lado e toda essa parte de prever metade da história também me desanimou um pouco. Mas no conjunto da obra, é um livro muito clichê e, por isso, muito bom. Ele é bem escrito, devorável e me deixou confusa, o que é bom. Se você gostou de algum outro livro da autora, pode ler esse sem medo de ser feliz.  

A Chama Dentro de Nós
Autora: Brittainy C. Cherry
Editora: Record
Páginas: 322
Skoob do Livro.
Meu Skoob.

Nenhum comentário:

Postar um comentário