quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Na Estante: Eleanor & Park


Eu ouvi tanto sobre esse livro que eu resolvi comprar. O fato é que pelo tanto que eu ouvi eu esperava um pouco mais, mas mesmo assim eu gostei muito do livro (dei quatro estrelas no skoob). Só comecei a ter vontade, de verdade, de ler quando passei da página cem. É um livro muito inteligente e muito (muito mesmo) verdadeiro, mas por conta de tudo que li sobre, antes de ter minha cópia, esperava algo a mais. Meu tempo anda apertado, tanto que demorei para conseguir sentar e escrever a resenha, haha, mas quando o livro é bom de verdade você vai lendo em intervalos, se deu um tempinho você se vira, mas se o livro não te dá vontade, complica um pouco. O problema desse livro foi toda a falação que ele rendeu, acredito que se eu tivesse lido sem esperar nada teria gostado bem mais.

O livro conta a história de Eleanor, uma garota de 16 anos que usa roupas bem diferentes e tem um cabelo bem chamativo (vermelho vivo e bem cacheado). Ela é cheia de segredos e, de certa forma, se esconde por trás das roupas largas e dos cabelos, afinal, sempre parece mais fácil fugir de um problema do que resolvê-lo. Ela chega em um lugar novo e precisa enfrentar uma escola nova, é aí que conhecemos Park. Um garoto mestiço (coreano) que vive em um mundo a parte, o mundo das músicas gravadas em fitas e dos gibis (a história se passa nos anos 80). Os dois não tinham absolutamente nada em comum, mas por ser nova, Eleanor, precisa de um lugar para sentar no ônibus da escola e acaba parando ao lado de Park. Ali começa um tipo, estranho, de amizade. Ele ia lendo seus gibis no caminho para a aula e ela ia tentando ler junto. Como toda amizade, em um young adult, eles acabam se apaixonando de uma forma muito inocente, mas sem esquecerem dos gibis e das fitas, é claro.

"(...) acho que tem mais a ver com seu cabelo ruivo e suas mãos macias... 
E com o fato de você ter cheirinho de bolo de aniversário." - Página 112

O problema é que a vida de Eleanor é uma verdadeira bagunça. Seus pais são separadas e o seu novo padrasto é um verdadeiro monstro. O fato é que sua mãe prefere ignorar todos os surtos do seu novo marido, por mais que isso afete muito seus filhos. Eleanor, então, acaba tendo que cuidar dela mesma e de seus irmãos mais novos, de certa forma. Sem esquecer que na escola as meninas populares fazem de tudo para tornar a vida dela um inferno. Enquanto isso, a vida de Park é quase a definição de perfeita, "quase" porque o único problema é que o pai dele, que já foi militar, acha que o filho é muito delicado. Os dois acabam formando um casal que consegue esquecer todos os problemas do mundo quando estão juntos. Quando estavam no quarto de Park só tinha o mundo deles e as pilhas de fitas e gibis. É uma história sobre o primeiro amor e é verdadeira, porque nem sempre o primeiro amor dá certo.

"Quando Eleanor sorriu, alguma coisa se partiu dentro dele. 
Isso sempre acontecia." Página 165

O livro é bom porque é muito real. Os dois são um casal fofo, mas eles são cheios de problemas e definitivamente não é uma relação perfeita. É o primeiro amor em todas as suas formas, a dor, os choros, a saudade, a vontade de estar sempre perto e a certeza de que a vida ainda é muito longa e que não é porque não deu certo de primeira que nunca vai dar certo. É legal ver um pouco sobre a vida dos adolescentes americanos nos anos 80, todas as fitas e as bandas de rock e todos os gibis, também. Acho que o que me incomodou mais é que o livro é contado em terceira pessoa e a visão vai mudando no meio do nada. Em um momento estamos vendo pelos olhos da Eleanor, ou quase isso (afinal é em terceira pessoa) e no segundo seguinte estamos pelos olhos de Park. Em alguns momentos fica bem confuso e nem sabemos mais de quem estão falando.

Eleanor é um enigma, mesmo com tudo que ela sofre ela não tem muita coragem. Ela sempre se esconde e não consegue se abrir com ninguém, nem mesmo com quem ama. Park é um típico adolescente que está completamente perdido, não sabe o que quer ser pelo simples fato de não saber nem quem é no presente. Os outros personagens são completamente normais, os pais de Park são legais mas nada muito marcante. Já com os pais de Eleanor o caso muda um pouco. A mãe me deixou com muita raiva em muitos momentos, não consigo nem imaginar o quão complicada é a vida dela, mas o que ela faz com os filhos não é justo, não mesmo. O padrasto chega a me dar nojo, mas só quando aparece, o que nem acontece tanto assim. Se você gosta de young adults que conta a vida exatamente como ela é, esse livro é para você. Mas comece a ler sem esperar nada, é sempre melhor assim.

Eleanor & Park
Autora: Rainbow Rowell
Editora: Novo Século
Páginas: 325
Skoob do Livro.
Meu Skoob.

4 comentários:

  1. parece ser um livro bem fofinho né?

    http://byanak.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Em partes, como é bem real nem sempre é fofo haha

      Excluir
  2. OI iza, gostei muito da sua resenha. Eu também sempre ouço muitos elogios sobre este livro, mas não sei por qual motivo ele nunca me atraiu. Por isso hoje lendo sua resenha me senti muito bem por não ter ficado muito ansiosa por esta leitura... Pode ser que se algum dia o livro vier parar em minhas mãos eu leia. Bjus
    Lia Christo
    www.docesletras.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Lia! Fico muito feliz, de verdade, que tenha gostado! <33 O que me atraiu nele foi toda essa falação sobre, haha essa é a mais pura verdade.

      Beijos

      Excluir