quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Na Estante: A Garota do Calendário - Junho


Sigo me surpreendendo muito com essa série, quando comecei esperava algo muito diferente e estou gostando muito do que ando lendo. Agora cheguei na metade e com isso me sinto uma campeã, afinal, são doze livros, galera, rs. O livro, para quem caiu aqui, faz parte de uma série que conta a vida da Mia, uma mulher que entrou para o mundo das acompanhantes para conseguir juntar dinheiro para pagar uma dívida absurda que seu pai fez. Cada livro conta um mês do ano dela e, a cada mês, ela tem um novo cliente que precisa dela para algo diferente. Não necessariamente sexo. Isso que é o tcham do negócio, porque de cara você acha que vai ser assim e que não vai ter graça, mas cada cliente é diferente e precisa dela para algo. O desse livro, por exemplo, precisava dela para se enturmar entre os grandes políticos para conseguir a liberação de um projeto de caridade. Calma, como sempre vou explicar tudo nos detalhes. O livro ficou com quatro estrelas e acho que isso está virando um padrão nessa série, o que não é algo ruim. O que me lembra, se estamos falando de uma série, a chance de você considerar alguma coisa como spoiler aqui é bem grande.

A cada mês que passa, Mia se apega mais a seus clientes que acabam virando amigos. Claro que ela encontrava algumas dificuldades no caminho, como quase se apaixonar ou pelo menos achar isso, mas o conjunto da obra estava parecendo bem fácil para ela. Em breve, ela teria todo o dinheiro que precisa e poderia deixar tudo para trás. Será? Cada pessoa que passou, deixou uma marca profunda em sua história e ela estava começando a perceber o quão complicado tudo poderia ser. É no meio de toda essa bagunça emocional que ela chega em Washington para encontrar seu mais novo cliente, um político que precisava de uma garota jovem e bonita para mostrar aos amigos, para assim mostrar que também era um deles e que podia ter o apoio que precisava para um projeto de caridade. Sim, era nojento tudo aquilo. Saber que aqueles homens estavam com meninas que podiam ser suas netas, basicamente só como troféu mesmo. Pelo menos, Mia estava sendo muito bem tratada por Warren. Ele não queria nada além disso com ela, só a imagem mesmo. O filho dele, Aaron, por outro lado, já tinha ideias bem diferentes de como lidar com a nova companheira de casa.

"Sim, a vida era estranha, mas eu a estava 
vivendo ao máximo." - Páginas 138

Vamos ter que parar por aí mesmo, afinal, é um livro curto e qualquer coisa que eu fale a mais pode estragar a leitura. Esse foi o livro mais movimentado até agora e mais diferente também. Saímos de um padrão entre os clientes e isso foi uma mudança daquelas para a personagem e até mesmo para quem estava lendo. Nesse livro, também, vemos como a relação dela com os ex-clientes é realmente forte. Alguns passaram a considerá-la como parte da família, enquanto que outros realmente querem lutar por seu coração. Em resumo, é um livro gostoso de ler e é bem rápido. O livro perdeu uma estrela porque, lá no meio da história, o ritmo vai se perdendo e vai dando uma leva preguiça, mas logo depois a autora recupera o ritmo e voltamos para a programação normal, rs. Para quem já está chegando ao meio da série, vale sim a pena continuar. Quero realmente saber como isso tudo vai acabar e é claro que vou contando tudo para vocês pelo caminho.

A Garota do Calendário - Junho
Autora: Audrey Carlan
Editora: Verus
Páginas: 160
Skoob do Livro.
Meu Skoob.

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

Na Estante: Ao Seu Encontro


Estou cada vez mais perto de acabar a série Rosemary Beach e é até complicado de acreditar, rs. Comecei a série tem exatamente quatro anos (what?) e não sei se estou pronta para dar tchau para esse bando de doido que, não posso negar, viraram parte da minha vida. Faltam três livros e um conto para acabar e isso é doido. Descobri que li dois livros fora de ordem (mesmo tendo gravado um vídeo sobre a ordem, acontece nas melhores famílias), mas, por sorte, não peguei nenhum spoiler tenso, hehe. Logo mais resolvo isso e gravo mais um vídeo pro canal contando como foi, afinal, quando gravei o primeiro vídeo a série ainda não estava completa nem no idioma original, tô velha. Mas agora vamos focar nesse aqui, não é mesmo? É mesmo. Os livros dessa série não são perfeitos e têm muitas falhas, mas meu Deus como a Abbi tem o dom de prender o leitor. Meu lado feminista voltou a gritar em muitos momentos e, por isso, o livro acabou com quatro estrelas. Só não posso negar que, pela primeira vez na série, percebi personagens dando cortes em atitudes machistas e achei bem digno. Que a série e o mundo siga assim. Como já ficou bem claro, estamos falando de uma continuação aqui, então, se ainda não leu o outro livro dessa parte da série (À Sua Espera) pode achar muitos spoilers por aqui. E nem preciso lembrar que estamos falando de um new adult de raiz, né? Cenas para maiores de dezesseis e alguns palavrões aqui ou ali. Avisos dados.

Reese e Mase estão finalmente se ajeitando. A vida dela, que nunca passou perto do fácil, está finalmente tomando um rumo e ela está feliz de poder fazer tudo isso ao lado do cara que ama. O que eles não esperavam era que uma prima de Mase, Aida, estava de volta a cidade e o que ela sentia por ele estava bem longe de ser algo familiar. Para complicar ainda mais, ela via em Reese um obstáculo que precisava ser derrubado e definitivamente não estava pensando muito nas consequências. Enquanto tudo isso acontecia na fazenda, Reese tentava se encaixar naquele mundo com o seu novo emprego e novos amigos também, incluindo o irmão de Blaire (da parte "Sem Limites" da série), Capitão, que estava sentindo algo a mais por ela, mesmo sabendo que tudo aquilo era muito errado. Entre toda essa bagunça de quem gosta de quem e quem vai terminar com quem, Reese ainda começa a entender melhor seu passado e como isso pode mudar todo o seu presente. Reese e Mase precisam estar mais unidos que nunca para lidar com a bagunça que estão vivendo e ainda sobreviver ao bando de coisas que está aparecendo sobre o passado dela. Não é fácil, mas pelo menos eles estão juntos nessa.

"Não queria suas verdades. Eu só queria Mase." - Página 95

Vamos jogar a real aqui, achei a Aida uma personagem bem inútil. Sério, de começo eu achei que ela poderia criar todo um caso de virada no livro, afinal, Abbi adora algo bem dramático e uma situação que se resolveria com uma conversa, mas que ninguém conversa. Só que não! Ela realmente só aparece para soltar umas frases de impacto sobre como quer o Mase e blá-blá-blá e é isso. Ficou parecendo que colou ela para ter assunto, mas desistiu e depois não queria tirá-la da história. Tanto que o final dela é bem vago e aleatório. Capitão, por outro lado, teve minha torcida mesmo eu sabendo que ele nunca ganharia de Mase e que nem rolou competição, na verdade. Por sorte, o próximo livro é com ele de protagonista e resolverei isso, rs. Sério, o Mase foi tão machista babaquinha em alguns momentos que eu queria dar tchau para ele.

Por sorte, como comentei no começo, tivemos alguns personagens abrindo olhos alheios para essas tosqueiras. A mãe de Mase deu muitos puxões de orelha no filho quando ele achava que era dono de alguém. Infelizmente esse padrão de cara é normal nos livros da Abbi (mas está melhorando). O livro vale a pena para quem já começou a série e, assim como eu, vê como questão de honra terminá-la. Ele não é fantástico e não adiciona muito no conjunto da obra, mas é uma leitura leve e gostosa, como todos os outros da série. Ou seja, para você que ama clichês e new adults de raiz, esse livro (e qualquer outro da Abbi) é uma leitura obrigatória.

Ao Seu Encontro
Autora: Abbi Glines
Editora: Arqueiro
Páginas: 224
Skoob do Livro.
Meu Skoob.

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Na Estante: Algo Belo


Sigo em busca de um livro cinco estrelas para esse ano, infelizmente ainda não foi dessa vez. Como sempre, vocês escolheram essa leitura pelo meu instagram em uma votação. Se você ainda não me segue por lá, é @Bellslopes, sem pressão. Eu estava bem afastada dos livros da Jamie, uma vez que os livros dos irmãos Maddox acabaram virando quase tudo a mesma coisa, mas não vou ficar falando disso por aqui, afinal, tem um vídeo todinho sobre como me cansei um pouco deles lá no canal do blog. De qualquer forma, aqui não temos um irmão Maddox, temos um primo. Ok, isso é uma desculpa, mas o blog é meu e crio desculpas mesmo (hehe). O livro, assim como todos os outros da série, é devorável e bem gostoso de ler, o problema aqui é que tudo nele é meio forçado por mais bem escrito e bem bolado que seja, mas calma que, como sempre, vou explicar isso melhor. O livro ficou com quatro estrelas no final e, para quem gosta muito da série Belo Desastre definitivamente vale a pena a leitura, uma vez que ela é bem rapidinha. Agora vamos focar, não é mesmo? O que me lembra, por mais que o livro não se encaixe na série Irmãos Maddox, ele tem muitos spoilers de todos os livros, por sorte, eu já tinha lido os outros antes.

America conheceu Shepley assim que começou sua faculdade. Ela era muito impulsiva para a vida enquanto que ele era muito controlado, o que acabou sendo uma mistura perfeita. A vida dos dois se conectou de forma instantânea e ficou ainda mais unida quando o primo dele, Travis, acabou se casando com a melhor amiga e quase irmã dela, Abby. Os dois estavam cercados de relacionamentos exagerados e rápidos por todos os lados na família. Esse era o único ponto em Mare não queria ser impulsiva, tinha medo de cometer erros se fosse rápido demais, se falasse o tão esperado Sim que Shepley queria ouvir. Por conta disso, sentimentos não falados em voz alta, os dois estavam se sentindo cada vez mais distante um do outro, algo não estava certo. E é aí que ela tem uma ideia que poderia salvar a relação deles. Uma viagem de carro para colocar a cabeça no lugar. O que ele não esperavam, é que essa viagem poderia sim resolver todos os problemas, assim como também poderia acabar com a vida dos dois.

"Não importava o que era ou como tudo 
havia acontecido, tínhamos algo belo." - Página 123

No começo do livro, umas trinta páginas, eu achei que o livro seria completamente inútil. Isso porque todo o foco não está no casal principal, por mais que a história esteja sendo narrada por eles. As primeiras páginas eram voltadas por completo para acontecimentos do casal Travis e Abby, mas pelos olhos da America e do Shepley. Não sei se consegui explicar bem, mas era como se a autora estivesse usando a história para tapar buracos dos outros livros que ela já tinha escrito. Depois desse começo, finalmente focamos mais na história dos dois, mas mesmo assim ainda seguimos acompanhando de perto o outro relacionamento citado. 

Foi bem legal rever esses personagens e, por mais dramático que o livro seja, foi uma leitura bem leve e gostosa. Só fiquei chateada, e foi aí que tirei a estrela, porque o livro realmente parece que só existe para remendar pedaços de outras histórias que já vimos na série. Claro, tem todo o drama que eles vivem na viagem, que é o tcham do livro, mas sempre voltava para a Abby e o Travis, sabe? Como se a America e o Shepley não se garantissem sozinhos. Por conta disso, o livro só vale a pena para quem já leu as séries Belo Desastre e Irmãos Maddox, afinal, o livro é recheado de spoilers e não é uma história que faça sentido quando lida separadamente. 

Algo Belo
Autora: Jamie McGuire
Editora: Verus
Páginas: 126
Skoob do Livro.
Meu Skoob.